segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Do preconceito



Preconceito

s.m. Forma de pensamento na qual a pessoa chega a conclusões que entram em conflito com os fatos por tê-los prejulgado; O preconceito existe em relação a quase tudo e varia em intensidade da distorção moderada a um erro total.




Se existe algo de abominável na sociedade, esse algo chama-se preconceito. Infelizmente, todos nós o possuímos em alguma espécie, ainda que teimemos em negá-lo ou em condená-lo. 

Hoje, no twitter, a usuária @mayarapetruso postou a seguinte frase: "Nordestisto não é gente, faça um favor a Sp, mate um nordestino afogado!". A frase dela foi uma alusão à eleição de Dilma Roussef. Não contaram pra ela que o maior colégio eleitoral do Brasil está localizado em São Paulo. Também não disseram a essa moça que, sem os nordestinos, a "maior economia" da América do Sul nada seria. 

O preconceito começa da ignorância que as pessoas possuem com um determinado assunto. O ser humano tende a ridicularizar e a menosprezar tudo aquilo que é diferente, seja o nordestino, o preto, o branco, o gordo, o magro, a mulher. A maioria das pessoas acredita que é superior. Entretanto, essa é a questão mais triste que existe, já que o conceito de "melhor" e "pior" são meros valores que nada dizem, são status sociais, que nada possuem de valor concreto.

Não me isento de dizer que muitas vezes sou preconceituosa. Todos somos. A questão é tentar se colocar no lugar do outro e repensar nossas atitudes. Não somos obrigados a gostar de determinadas coisas ou atitudes, mas pelo menos um olhar antropológico e isento de valores somos obrigados a possuir. O preconceito é o princípio das guerras e do ódio que torna o mundo um lugar ainda tão atrasado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails