domingo, 4 de março de 2012

Novo blog

Pessoal, é com prazer que transfiro meu blog daqui para um domínio próprio. Acessem: http://livialamblet.com.br

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Do Sonho (ou Meu Livro)


Sempre quis escrever um livro. De todos os meus sonhos de infância, esse foi o que sempre prevaleceu. Não sabia exatamente sobre o que gostaria de escrever, mas sabia que meu rumo era por aí. Comecei faculdade de Moda e Psicologia, mas acabei indo para o Jornalismo. Desde criança manifestei minha paixão pelas letras: crônicas, fábulas, poesias, frases. Aos 12 anos eu já lia Luiz Fernando Veríssimo e minha matéria favorita na escola era Português.

Os anos foram passando e eu não sabia que rumo minha vida iria tomar, mas sabia que eu seguiria o caminho mais difícil. Sim, porque gostar da área de humanas neste país significa ter que lutar MUITO pra ser reconhecido. Mesmo assim, muitas vezes não temos sucesso. Pois bem: eu adoro um desafio. Se o caminho fosse fácil, eu já teria desistido há muito tempo. A perseverança torna o sabor da vitória muito mais doce.

Quando estava escrevendo minha monografia de conclusão de curso, minha pesquisa foi tão ampla e profunda que resolvi divulgá-la para outras pessoas. Penso que o conhecimento não deve ser restrito, ele precisa ser divulgado e tornar-se público. E eis que consegui fazer com que meu livro tenha sido lançado. O nome é: A influência das novas tecnologias na comunicação humana. Ele trata da história da comunicação, sociedade e tecnologia, desde as pinturas nas cavernas até a internet. Através disso, mostro como esses três pilares construíram a sociedade como conhecemos hoje. Para aqueles que gostariam de tê-lo, segue o link: http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=721&idProduto=745

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Da esperança



Se tem algo que mantém o ser humano preso em suas próprias paixões é a esperança. Pandora, curiosa, não deveria ter aberto a caixa que lhe foi confiada pois, desde o princípio, esse sentimento sempre foi o último a abandonar o invólucro em que está. Logo, a esperança está diretamente ligada ao apego, à crença, ao porvir. Sendo assim, a esperança é a convicção de que algo está por vir ou que está acontecendo para, no futuro, dar frutos bons.

Entretanto, por que seria bom esperar que algo seja interessante no futuro e não agora? Eu realmente não consigo ver muita vantagem em deixar acontecer para que talvez, quem sabe, um dia a coisa se concretize. Meu tempo é agora. Se tem que dar certo, deve dar certo já. Sei que paciência não foi e nem nunca será o meu forte. Talvez seja esse o meu problema, mas tenho dificuldades em entender por que em um dado momento a coisa vá funcionar e agora não. Vejo amigas minhas dizendo: "ah, agora ele não quer nada comigo porque acabou de sair de um namoro"...Não, cara pálida! Se a pessoa tem que querer, tem que ser agora, pra já, neste momento! Qual a diferença entre hoje e amanhã? Nenhuma, você só permitiu que a pessoa protelasse.

Sei lá, talvez eu esteja rebelde demais, como acabaram de me dizer aqui. Ou talvez eu precise me adaptar a esse mundo do porvir. Mas sei lá, pra mim é demais ficar pensando que amanhã-talvez-quem sabe...porque eu não trabalho com possibilidades. Eu quero trabalhar com análise de fatos. E os fatos não são passíveis de serem prorrogados...

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Da fórmula do amor







"Ainda encontro a fórmula do amor..."

Sei lá, será que existe uma regra pras pessoas gostarem da gente? Todo mundo me fala que as pessoas "sentem" o que as outras querem. Mas não sei, vejo tantas vezes essa "fórmula" dar errado. Vejo tanta gente errada com gente certa, e gente errada com gente errada...mas raramente vejo duas pessoas certas. Por "pessoas certas" eu quero dizer aquelas que se completam, que se entendem e têm vontade de ficar juntas.

Outra coisa que sempre me falam é pra não criar expectativas. Sim, tento não criar. É uma coisa difícil, é algo que está além do meu alcance, mas eu faço tudo pra não querer. Só que quando se acha uma pessoa interessante, inteligente e divertida, não é uma questão de querer criar a expectativa, mas de ter vontade de ver a pessoa novamente, de querer poder passar pelo menos umas horas com ela. Gente, isso não significa querer casar, namorar...mas só ter uma boa companhia, ter um amigo ou um amor, enfim...mas não, as pessoas cismam em simplesmente não estarem nem aí umas para as outras.

Tô falando isso porque sei lá, cansa querer fazer as coisas certas e parecer que tô sempre fazendo tudo errado. E também tô cansada de todo mundo querer que eu seja igual àquele padrão de mulher que se deve ser pra alguém ter que se apaixonar. Porque eu sou eu, cheia de defeitos, mas também cheia de qualidades. É difícil, sabe? Todo mundo sempre quer que as pessoas mudem, sempre cobram a perfeição...e essa sociedade cobra um monte de atitudes das mulheres, e elas nem sempre podem corresponder a isso, o que não é legal...
Related Posts with Thumbnails