sábado, 26 de dezembro de 2009

Destaque

Todo dia vejo o quanto sou diferente das outras pessoas. Não sei se isso é bom ou ruim, mas realmente não entendo como ser como elas. Me esforço, mas diariamente percebo que me distancio mais e mais desse mundo, e que nada do que a realidade me oferece é capaz de me preencher. Tenho dúvidas de como proceder e acabo me defendendo de tudo e de todos, para não sair cada dia mais machucada.
A realidade machuca e fere. Não que não se possa passar com o rosto erguido, mas não consigo simplesmente ignorar os fatos como os outros conseguem. As coisas me afetam, sim. Não passam imunes sobre mim; talvez o erro esteja em eu dar importância demais a pequenas coisas, quando deveria ficar mais na minha...
Tenho um amigo que sempre me diz o quanto é importante reconhecer o quanto ser diferente me torna especial, e que na verdade os errados são os outros, que não são como eu. Não sei se ele está certo ou errado...mas acho que vou me apegar mais nessa hipótese pra tentar ser mais feliz. Ou começar.

2 comentários:

  1. Lívia,
    É mesmo complicado viver num mundo que parece não ter nada de bom o suficiente para a acalmar o nosso coração. Mas o que o seu amigo te disse me parece correto. Vc já parou p pensar no quanto estamos vivendo numa inversão absurda de valores? Não pode ser errado alguém que não queira viver assim....errado são os que compactuam com isso.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que as diferenças são superestimadas.
    Não se esqueça que nem todos deixam transparecer aquilo que sentem. E nisto, a meu ver, está o segredo.
    Não podemos ser tão transparentes quanto desejamos. Temos que nos preservar.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails