quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Da esperança



Se tem algo que mantém o ser humano preso em suas próprias paixões é a esperança. Pandora, curiosa, não deveria ter aberto a caixa que lhe foi confiada pois, desde o princípio, esse sentimento sempre foi o último a abandonar o invólucro em que está. Logo, a esperança está diretamente ligada ao apego, à crença, ao porvir. Sendo assim, a esperança é a convicção de que algo está por vir ou que está acontecendo para, no futuro, dar frutos bons.

Entretanto, por que seria bom esperar que algo seja interessante no futuro e não agora? Eu realmente não consigo ver muita vantagem em deixar acontecer para que talvez, quem sabe, um dia a coisa se concretize. Meu tempo é agora. Se tem que dar certo, deve dar certo já. Sei que paciência não foi e nem nunca será o meu forte. Talvez seja esse o meu problema, mas tenho dificuldades em entender por que em um dado momento a coisa vá funcionar e agora não. Vejo amigas minhas dizendo: "ah, agora ele não quer nada comigo porque acabou de sair de um namoro"...Não, cara pálida! Se a pessoa tem que querer, tem que ser agora, pra já, neste momento! Qual a diferença entre hoje e amanhã? Nenhuma, você só permitiu que a pessoa protelasse.

Sei lá, talvez eu esteja rebelde demais, como acabaram de me dizer aqui. Ou talvez eu precise me adaptar a esse mundo do porvir. Mas sei lá, pra mim é demais ficar pensando que amanhã-talvez-quem sabe...porque eu não trabalho com possibilidades. Eu quero trabalhar com análise de fatos. E os fatos não são passíveis de serem prorrogados...

3 comentários:

  1. A mais pura verdade... Também sofro um pouco disso, mas as vezes, confesso, sou acometida por esse mal do "no futuro..."

    ResponderExcluir
  2. É, filha... sempre ansiosa e impaciente... Como está em Eclesiaste 3, 1-8:

    "Tudo neste mundo tem seu tempo;
    cada coisa tem sua ocasião.
    Há um tempo de nascer e tempo de morrer;
    tempo de plantar e tempo de arrancar;
    tempo de matar e tempo de curar;
    tempo de derrubar e tempo de construir;
    Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar:
    tempo de chorar e tempo de dançar;
    tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las;
    tempo de abraçar e tempo de afastar;
    Há tempo de procurar e tempo de perder;
    tempo de economizar e tempo de desperdiçar;
    tempo de rasgar e tempo de remendar;
    tempo de ficar calado e tempo de falar.
    Há tempo de amar e tempo de odiar
    tempo de guerra e tempo de paz."

    Portanto, há tempo de esperar,também...

    ResponderExcluir
  3. O tempo como passado ou futuro sempre será ilusório, pois é construído por nossa mente, que como o próprio nome já diz, costuma mentir. Adorei o comentário anterior, pois fala de um tempo verdadeiro, o do sentir, muito mais do que o do pensar, algo que as pessoas costumam esquecer.



    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails