domingo, 29 de agosto de 2010

Da desilusão

É complicado gostar de alguém. Amar, se apaixonar, ter um sentimento forte por uma outra pessoa. Mas o que nos leva a isso? O que será que faz alguém ser 'apaixonante'? Algumas pessoas procuram por beleza, que é a característica mais efêmera que mantém uma emoção. Outras, procuram por segurança, aquele que esteve ao seu lado nos momentos mais críticos. Outras - e essas eu considero as mais corajosas - vão atrás do coração.

Estar com alguém por motivos egoístas é simplesmente meio caminho andado para o relacionamento fracassar. Quando se ama, quando se quer estar com aquela pessoa, se deve pensar que aquela pessoa faz o seu coração bater mais forte, faz você sentir que vale a pena viver, faz com que se sinta um frio na barriga, faz com que seus olhos não parem de brilhar. Não adianta insistir: estar com alguém por gratidão é simplesmente mentir para si mesmo. Não acredito nisso. Acredito em amar porque a outra pessoa te completa em tudo, te mostra um caminho novo, mostra que a vida ainda pode ser linda e bela, apesar de todas as adversidades.

Entretanto, as pessoas insistem em permanecer no erro. As pessoas têm a felicidade em suas mãos, estão com ela ali, mas deixam escapar - e geralmente são infelizes por toda uma vida. Vejo muitos casos assim, um em particular que talvez um dia eu conte por aqui...e que me impressionou quando me foi contado, porque talvez a vida dessa pessoa tivesse sido completamente diferente, tivesse sido plena.

Por que, eu me pergunto, por que as pessoas têm tanto medo de viver a plenitude? Por que se acostumam? Por que têm medo de lutar, de viver, de se apegar ao que realmente vale a pena? Não, simplesmente não consigo compreender. E nunca vou me cansar de questionar...

4 comentários:

  1. Pedimos, ao fim de cada ano, uma lista de coisas efêmeras: prosperidade, dinheiro, felicidade, etc... Opa, felicidade, efêmero?

    Na verdade não, mas o pior de tudo é que temos a felicidade em nossas mãos, como você disse. Porém, nos deixamos engaiolar nas redes do conforto, da segurança, e não voamos mais...

    ResponderExcluir
  2. Concordo totalmente com você. A maioria das coisas pelas quais lutamos ou com as quais sonhamos em ter são muito efêmeras.
    Creio profundamente que a felicidade está nas coisas mais simples da vida. No ato de apreciar o sorriso de uma pessoa que nos é querida, ao observar uma criança ao brincar, num simples passeio ao entardecer ou ao sentar numa pracinha ao lado de quem se ama para tão somente conversar. Boa parte das pessoas talvez nunca perceba nestas coisas a felicidade, pois pensam que a conseguirão apenas com acúmulo de bens materiais. Não digo que seja errado querer o seu dinheiro para garantir algum conforto e dignidade para viver. O errado está em não se saber dimensionar o que dignidade e conforto de fato.E acho que isso fez com que muitas pessoas se acovardassem e, tais pessoas passaram a procurar pelo amor no dinheiro na segurança de uma vida cheia de luxo, etc.
    Uma pena que seja assim por enquanto...

    ResponderExcluir
  3. COncordo.... mas também... a vida é uma luta, e sempre queremos algo ou impossível ou que sabemos que é dificil.

    ResponderExcluir
  4. Me lembrou um poema que amo... "O quase". Acho que muita gente não é feliz por covardia ou contentamento. Medo de arriscar, medo do novo, medo. Paralisante... Mas nunca é tarde pra recomeçar, certo?
    beijo Liii

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails